Usando seu dinheiro fora do Brasil. O que você ainda não sabe!




Um assunto polêmico que sempre gera muitas dúvidas: qual é a melhor maneira de gastar meu dinheiro em uma viagem internacional? Na verdade existem inúmeras opções, mas o que a gente vê é que por falta de informação a maioria das pessoas acaba usando aquilo que parece mais fácil por estar ali estampado na nossa cara.


Mas nesse post a gente vai te apresentar algumas dicas incríveis e contar tudinho que a gente sabe com direito a vantagens e desvantagens de cada uma dessas opções! Anota aí!



1) A boa e velha casa de câmbio.


Não vamos negar que é uma opção simples e bem confortável. Hoje em dia tem algumas empresas que até levam o dinheiro até você, ou seja, você nem precisa sair de casa pra trocar seu rico dinheirinho.


O problema é que as taxas de câmbio normalmente são bem ruinzinhas. Isso porque é justamente assim que eles se sustentam, eles tem que ganhar dinheiro em cima desse serviço, então é claro que aquele valor de conversão que você vê na internet nunca vai ser o valor que eles vão te vender.


Mas todas as dicas e opções que a gente vai te contar nesse post dependem de alguns detalhes e algumas vezes você não tem outra opção.


Nesse caso, a dica é pesquisar em vários lugares! Nunca vá ao primeiro lugar que você achou, uma boa pesquisa pode te dar uma economia bem significativa!


Uma dica legal, é procurar saber se algum amigo ou conhecido está “vendendo" Dólar ou Euro. Isso porque tanto pra você quanto pra ele vai ser muito melhor se vocês fizerem esse câmbio entre vocês.


E o motivo é simples: da mesma maneira que as casas de câmbio ganham ao vender dinheiro pra você, isso vale pra quando eles compram do seu amigo. Ou seja, ele acaba vendendo por um valor inferior ao que vale. Pesquise qual é o valor real na internet e troquem entre vocês e todo mundo sai mais feliz!


Tenho um amigo inclusive que tem o hábito de ficar na porta das casas de câmbio oferecendo pra trocar o dinheiro dele sempre que vai viajar. Já que chega gente o tempo todo, pode ser uma boa também! Mas aí vai depender um pouco também da sua cara de pau! hehe!


"Aaaah mas eu vou pra um país que tem um dinheiro que ninguém vai ter!" Apesar disso, em qualquer lugar do mundo você consegue trocar Dólar ou Euro, então de qualquer jeito a regra continua válida!



2) Cartão de crédito e débito


Aqui no Brasil, a maioria dos cartões emitidos só funcionam em outros países no modo crédito. Então, não se deixe enganar. O gerente do seu banco pode até tentar te convencer falando que o seu cartão é internacional vai funcionar sim, mesmo no débito. Isso não é verdade na maioria das vezes.


Mesmo na América do Sul, onde tem Banco do Brasil e alguns outros bancos nossos, isso não é uma regra que sempre vale. Algumas vezes você até consegue sacar dinheiro em algum ATM dependendo do país e um pouco de sorte, mas não confie.


Vários leitores tiveram vários problemas com cartões emitidos pelos bancos mais comuns daqui: Banco do Brasil, Itaú, Santander, Bradesco etc.

Isso porque o sistema não é internacionalmente integrado.


Pra você ter uma idéia, o Santander é um banco espanhol e tem uma agência em cada esquina na Espanha. Uma leitora nos contou que enquanto visitou a Madri, tentou usar seu cartão de débito pra comprar e sacar e não funcionou. Foi a uma agência reclamar e informaram que eles não podiam fazer nada porque pra eles era como se fosse outro banco.

Ou seja, mais uma vez: Não confie.


Já na função crédito, normalmente funciona bem sim, mas não esqueça de avisar ao seu banco antes de viajar pra ele não bloquear o seu cartão por ver uma movimentação não comum. Vá ao seu gerente ou ligue pro call center e informe tudo direitinho!


Mas e o IOF?


Essa siglazinha muito falada pelos viajantes é o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros e nesse nosso contexto não é nada mais do que o imposto que incide sobre o seu cartão toda vez que você o usa. Antigamente ele só incidia na função crédito, mas há alguns anos passou a ser cobrado no débito e saque também.


Hoje em dia essa taxa representa 6,38% sobre o valor da transação. Então vale a pena fazer as continhas pra ver se vale a pena.


Mas diferente do que muita gente prega por aí, apesar do IOF, nem sempre usar o cartão é uma opção ruim. Isso por 2 motivos:


algumas vezes as taxas nas casas de câmbio são tão caras que vale a pena fazer a conta e ver se vale mesmo a troca nesses estabelecientos, tanto aqui no Brasil quanto fora. Vale a pena dar uma pesquisada inclusive no país se vale a pena trocar de dinheiro lá mesmo e se é fácil;


alguns bancos trabalham com câmbio direto com taxas bem inferiores. Ou seja, usando o seu cartão diretamente na loja, você pode ter uma conversão vantajosa sim. Inclusive, alguns bancos como o Sicoob, trabalham com câmbio "comercial", que é bem mais barato do que o “turismo”, a referência utilizada na maioria das transações internacionais pelos cartões de crédito e débito. Então vem aí a dica de ouro número 1: Se você tem condições de abrir uma conta no Sicoob, não pense 2 vezes! As vantagens pra quem viaja são inúmeras, vale muito a pena! Vá a uma agência e pesquise as condições pra saber se você está apto a se associar.


Mas afinal, tem alguma maneira de eu usar meu cartão no modo débito?


Siiim! Mas como?


E aí vem a dica de ouro número 2: Abrindo uma conta no CitiBank.


Mas porque esse banco é diferente? Simplesmente porque o sistema do CitiBank é integrado no mundo todo. Isso significa que você tendo uma conta nesse banco você tem mais facilidade inclusive de movimentar sua conta do Brasil de qualquer outra agência do Citi no mundo. E isso quer dizer também que você consegue usar sim na função débito e com um câmbio muito melhor, mesmo trabalhando também com Câmbio modo turismo. E além de tudo isso, as taxas de saque, quando não são isentas tem valores muito mais baixos do que o normal. Pareceu bom, né?

Obs.:

- Essa regra valia também pro HSBC, mas depois de fecharem os seus negócios no Brasil essa deixou de ser mais uma opção.

- Dependendo do seu pacote que você tem no seu banco, será cobrada uma taxa toda vez que você sacar dinheiro, além do IOF. Ou seja, no caso de necessidade de sacar, nunca fique tirando dinheiro picado. Essa taxa pode chegar algumas vezes em até R$16,00. Procure saber se você tem algum direito a saque grátis no exterior e qual é a taxa de saque no caso de você precisar.



3) VTM (Visa travel money) e similares.


Outra maneira de levar dinheiro pra viajar é o conhecido VTM. Como funciona? Você vai a uma agência que trabalha com VTM, pede pra fazerem um cartão de débito pra você, faz o depósito de um valor mínimo para ativá-lo (mais ou menos 100 dólares) e o dinheiro fica lá disponível pra usar lá fora. É uma maneira um tanto simples, um cartão pré pago que te permite sacar e der usado sem muitos problemas.

A desvantagem é que o câmbio normalmente é péssimo. Então, mais uma vez, vale fazer a continha pra comparar e saber em quais situações é mesmo vantagem.


Uma coisa que já aconteceu com mais de um leitor é o sistema ficar do nada fora do ar e eles ficarem impossibilitados de usar o dinheiro. Então já sabe, nunca confie 100%. É sempre ter uma outra opção no caso de emergência.


Maaaas apesar de não ser a minha opção favorita, é válida principalmente em casos de viagens longas, por muitos meses. Nunca se sabe do dia de amanhã.


Um leitor nos contou que fez intercâmbio na Europa e sempre usava o seu cartão do CitiBank, mas mesmo assim, como já tinha um cartão VTM que fez em outra viagem, levou por precaução, mas deixava ele guardadinho em casa. Ao fazer uma viagem no Leste Europeu ele foi assaltado e ele ficou totalmente sem dinheiro. Teve que pedir dinheiro emprestado aos amigos, mas ao retornar pra sua casa na Itália conseguiu pegar e usar seu VTM até conseguir uma nova via do seu cartão. Então pode ser uma boa ter sempre essa carta na manga!



4) Uma coisa maravilhosa chamada Transferwise.


Essa é mais uma dica de ouro, mas infelizmente também não pode ser usada por todo mundo. Isso porque pra poder usar essa opção, você precisará de uma pessoa de confiança que tem uma conta em um banco no seu país de destino.


E a explicação é simples: o Transferwise não é nada mais nada menos do que uma transferência internacional online que cobra taxas baixíssimas e um câmbio bem justo!


Funciona de uma maneira bem fácil: você entra no site do Transferwise, cadastra seus dados e os dados da conta de destino (do seu amigo, familiar ou conhecido que tem conta no país de destino) e o site já te mostra qual será o câmbio e o valor total. Depois disso, ele gera um boleto a ser pago no Banco Itaú. Você paga e Bingo! Em mais ou menos 4 dias o dinheirinho cai na conta! Chegando lá você pede o seu amigo pra sacar o valor pra você e pronto!


Se você tem essa opção, certamente é a maneira mais vantajosa no que diz respeito a câmbio internacional. Não deixe de explorar isso!


Agora que você já sabe disso tudo, escolha a melhor (ou melhores) opções pra você e sempre tenha mais de uma opção, nem que seja o dinheiro escondidinho na doleira!


E dor de cabeça por problema com dinheiro atrapalhando sua viagem nunca mais!






Links úteis:


Câmbio - https://economia.uol.com.br/cotacoes/cambio/



©2019 by Por Um Mundo Menor. Proudly created with Wix.com